Acidentes em Portugal: 472 vítimas mortais em balanço provisório de 2019

Os conselhos para uma condução mais segura, defensiva e amiga do ambiente repetem-se ano após ano. Apesar de existir uma tendência de descida de mortes nas estradas, estas continuam a registar um número muito elevado. Os acidentes em Portugal podem ser evitados e, por isso, não devem ser encarados como uma circunstância, tendo sempre em mente que zero é o único número aceitável de vítimas mortais.

Agora que iniciámos o ano de 2020, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) divulgou os números da ação de fiscalização de Natal e Ano Novo e também os dados provisórios da sinistralidade rodoviária em 2019. O cenário continua a ser preocupante: 472 vítimas mortais nas estradas portuguesas no ano anterior.

 

Fiscalização de Natal e Ano Novo com mais acidentes e vítimas mortais

No período de Natal e de Ano Novo, entre 18 de dezembro de 2019 e 1 de janeiro de 2020, houve mais 396 acidentes em Portugal Continental face ao mesmo período do ano anterior, o que representa um aumento de 7%. Nesta operação de fiscalização, verificaram-se 15 vítimas mortais nas estradas portuguesas, menos 14 face ao período homólogo. Além da redução das vítimas mortais, também diminuiu o número de feridos graves e ligeiros em 9% e 17%, respetivamente.

 

 

O presidente da ANSR, Rui Ribeiro, em entrevista à RTP, revela que esta redução do número de vítimas mortais e de feridos mostra que “os portugueses estão a ter um comportamento mais correto na estrada”. No entanto, embora exista uma ação mais responsável dos condutores, o número de vítimas mortais com excesso de álcool no sangue mantém-se muito elevado, levando Rui Ribeiro a referir que “o álcool é muito responsável pelos acidentes rodoviários”. 

Neste período, para prevenir acidentes em Portugal, a PSP e a GNR controlaram, em conjunto, 676.231 condutores. Desta fiscalização, resultaram cerca de 56.797 infrações que levaram à detenção de 903 condutores, dos quais 607 apresentavam uma taxa de álcool superior à taxa crime. Das contraordenações registadas, 37.372 referem-se a casos de excesso de velocidade.

 

472 vítimas mortais em balanço provisório da sinistralidade rodoviária em 2019

Os números apresentados no comunicado da ANSR com o balanço provisório dos acidentes em Portugal continuam a merecer profunda reflexão das autoridades competentes. Em 2019, registaram-se 472 vítimas mortais, menos 36 mortes do que no ano de 2018. Este número coloca-se em linha com o valor registado em 2015, depois da subida significativa da mortalidade nas estradas portuguesas em 2017.

Olhando para as várias regiões do país, os distritos que apresentam a maior descida de vítimas mortais são Setúbal (-37), Leiria (-16) e Vila Real (-10). Quanto ao número de feridos registados, houve 2.284 feridos graves em 2019, marcando um aumento de 3% (+147); já em relação aos feridos ligeiros, foram assinalados 39.787 casos, o que se traduz numa redução de 3% (-1.569).

 

 

Relativamente à fiscalização rodoviária, durante o ano de 2019, as forças de segurança controlaram mais de 12 milhões de condutores. Destas operações resultaram 1,4 milhões de infrações e a detenção de 27.216 pessoas, das quais 14.999 apresentavam uma taxa de álcool superior à taxa crime. Das contraordenações verificadas, o destaque vai para o excesso de velocidade, com 661.799 ocorrências, sendo também de salientar os 33.814 casos de uso de telemóvel durante a condução.

Apesar do número de mortes nos acidentes em Portugal ter diminuído, o cenário continua a ser muito preocupante. A ANSR alerta que todos os intervenientes na segurança rodoviária devem trabalhar em conjunto para que seja cumprido um objetivo comum: zero vítimas mortais nas estradas portuguesas.

 

Produzido pela Webtexto para a Cartrack

 

Aumente a sua segurança e a dos seus veículos com os serviços de localização e recuperação da Cartrack!

contactos-cartrack