Reposta eficaz da Cruz Vermelha no Centenário de Fátima conta com a Cartrack

Cartrack, Cartrack Portugal, Sempre em Controlo, case study, cruz vermelha, coimbra, cartrack

A Cruz Vermelha Portuguesa é uma instituição com mais de 150 anos que dispensa apresentações. Presente em todo o país, a CVP possui uma frota com um cariz muito especial: são sobretudo viaturas de emergência, cuja capacidade de resposta pode ser crucial para salvar vidas.

Entre as mais de 20 delegações regionais encontra-se a Delegação de Coimbra, que é cliente da Cartrack Portugal desde 2016.

Do que precisavam?

O grande desafio surgiu quando foram chamados para dois eventos que, embora de natureza muito diferente, implicavam um número e uma coordenação de meios significativos: a visita do Papa para as celebrações do centenário de Fátima e a habitual Queima das Fitas em Coimbra.

Qual foi a solução encontrada?

Sendo já clientes, a Delegação de Coimbra colocou um desafio à Cartrack: criar uma solução temporária que permitisse instalar os equipamentos nas viaturas das delegações que não eram clientes e estariam envolvidas nas operações durante a duração dos eventos.

Operando debaixo do mesmo comando, no caso da Queima das Fitas em Coimbra foi possível coordenar a partir do posto de comando as três viaturas de emergência da Delegação de Coimbra, mais oito viaturas de outras delegações da Cruz Vermelha. Já em Fátima, o sistema da Cartrack foi instalado em 11 viaturas-chave, que estavam sempre localizáveis e prontas para dar resposta às situações de emergência.

O que ganharam?

O sistema da Cartrack foi fundamental para uma boa gestão operacional das viaturas de emergência presentes nos dois eventos, permitindo dar uma resposta atempada e eficaz a todas as situações.

“Em todas as situações – no dia-a-dia e em eventos especiais – por questões operacionais e de segurança este é um sistema fundamental”, reconhece o coordenador local de emergência da Delegação de Coimbra da CVP, Gonçalo Órfão.

Produzido pela Webtexto para a Cartrack
Fotografia por Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Coimbra

LEIA A VERSÃO COMPLETA EM PDF